Ford Escort: 20 Anos de História que Deixou Saudade

Produzido por 20 anos no Brasil, o Ford Escort foi um dos carros mais icônicos e populares da Ford nos anos 80, principalmente no Brasil, marcando sua geração.

Criado para ser um modelo de classe média, o Escort foi baseado na 3° geração do Escort Europeu, sendo lançado com o objetivo de substituir o Ford Corcel II.

O lançamento do carro aconteceu em 1983, e trouxe um ar de modernidade para a Ford. Em 2003 a Ford encerrou sua produção.

Três anos após seu lançamento na Europa, o Escort foi então lançado no Brasil, encontrando-se já em sua terceira geração europeia.

Suas inovações eram inúmeras. Além de possuir suspensão traseira independente e um bom espaço interno, seu formato de carroceria trazia um hatch com duas portas, motores de 1.3 e 1.6 a etanol ou gasolina.

As janelas laterais eram amplas e possibilitavam uma boa visibilidade aos motoristas, junto a faróis retangulares e o coeficiente aerodinâmico mais baixo do Brasil: 0.386.

Ele também possuía uma versão quatro portas.

Seu sucesso foi tanto que o Escort se tornou o primeiro carro com lançamento na capa da revista Veja.

Ford Escort  Ford Escort

 

FORD ESCORT XR3 (Experimental Research 3)

Dois anos após seu lançamento, já em 1985, a versão esportiva do carro foi apresentada e se tornou o ícone da juventude rebelde dos anos oitenta, o Escort XR3.

Mesmo com menos de 90 cv, extraídos do 1.6 CHT, seu design era bastante elegante.

Possuindo 4 faróis auxiliares, rodas de 14 polegadas no estilo “trevo-de-quatro-folhas”, pneus de perfil baixo, teto-solar e aerofólio traseiro, este carro se destacou entre os esportivos da época, principalmente após, pouco tempo depois, ganhar sua versão conversível (Ghia).

Em 1986, um ano depois de seu lançamento, o Escort XR3 recebeu sua primeira reestilização. Os faróis, para-choque e lanternas ganhavam um novo contorno arredondado.

As rodas foram mudadas, adotando o padrão de desenho estrelado, junto a vidros elétricos, lanternas traseiras lisas e ausência de grade frontal.

O modelo também passou a oferecer apenas duas portas e três cavalos a mais de potência, perdendo os faróis de neblina no para-choque.

 

Novo Ford Escort e o nascimento do Verona

Em 1989, quando nasce a Autolatina a partir da fusão entre Ford e Volkswagen, mudanças bastante significativas acontecem.

O XR3 e Ghia receberam um novo motor da época, o infame VW AP 1.8 de 90 cv na versão Ghia e 99 cv no XR3, junto a um novo modelo do Escort: o sedã de duas portas, Verona.

 

O Escort quatro-portas voltou ao mercado em 1991, sendo o único de quatro-portas desde 1986, e recebeu o nome de Guarujá, com motor 1.8.

No entanto, este modelo não vingou, pois era produzido apenas na Argentina.

O motivo é que, na época, a Argentina era conhecida por produzir carros de qualidade duvidosa.


Segunda geração brasileira

Entre o final de 92 e o início de 93 a Ford dá início à segunda geração brasileira do Escort.

Dentre as principais mudanças da época, o design do modelo foi completamente revisto, o interior adotou uma postura mais ergonômica e moderna e carroceria maior e mais arredondada.

O modelo XR3 também ganhou um novo motor AP 2.0 com injeção eletrônica e 115,5 cavalos.

Visando manter um certo vínculo com o mercado, a carroceria antiga ainda era produzida na versão Hobby, com motor de 1.6 e futuramente 1.0.

A segunda geração nunca recebeu um modelo quatro portas.

Em 1994, o XR3 ganhou injeção multiponto em seu motor 2.0 e uma versão abastecida a álcool com 122,4 cavalos.

Em 1995, este modelo ganha novas rodas e ajuste de altura do volante.

Já em 1996, a produção do Escort foi transferida para a Argentina, com o objetivo de abrir espaço para a produção da nova geração do Fiesta no Brasil.

Ford Escort Zetec: terceira geração brasileira

A nova geração chegava no Brasil com dois anos de atraso em relação à produção europeia, reestilizando novamente o Escort, mas apenas levemente.

No período de 1996, os modelos XR3 e seu conversível foram descontinuadas e ganharam uma série especial, que comemorava oficialmente os 75 anos da Ford.

Após isso, o Escort foi completamente modernizado e ganhou uma nova frente, com recortes ovais na grade e apliques nas lanternas do hatch, que trazia novamente quatro portas e um novo painel interno.

O motor foi alterado para o 1.8 16V Zetec de 115 cavalos fabricado na Inglaterra. Inicialmente, foram apresentadas ao mercado automobilístico as versões hatch de 4 portas, o esportivo hatch RS de duas portas e o Station Wagon (inédito no Brasil).

Em 2000 a linha recebeu o novo motor Zetec Rocam 1.6 e permaneceu sem alterações até 2003, quando a era Escort chegou ao fim, tendo seu posto tomado pelo Ford Focus.

 

Leia Também:

Novo HB20: versões, preços e equipamentos

Ficha Técnica do EcoSport 2020 – Preço, Consumo, Versões, Detalhes

Deixe um comentário